Trump recebe ordem de juíza americana para não bloquear mais usuários no Twitter

Em Nova York, uma juíza federal decidiu nessa última quarta-feira (23), que Donald Trump, o atual presidente dos Estados Unidos não poderá bloquear usuários no Twitter, pois corre risco de violar e Primeira Emenda da Constituição dos EUA, que dá a garantia de liberdade de expressão a população.

A oportunidade de poder reagir aos frequentes tuítes do presidente em sua rede social, sendo bons ou maus, é o direito de cada um, sendo protegido por tal emenda.
De maneira mais fácil para entender, Trump cometeu um deslize ao bloquear alguns usuários em sua conta pessoa no Twitter.

Foi pedido que a Justiça avaliasse à luz da Primeira Emenda se um funcionário do governo pode bloquear uma pessoa em sua conta no Twitter como reação às opiniões políticas desta pessoa. Também foi questionado se esta análise se difere quando esse funcionário é o presidente dos EUA. A resposta para ambas as perguntas é não”, sentenciou a juíza Naomi.
O caso surgiu após algumas pessoas reclamarem ao serem bloqueadas por Trump na rede social, e pelo que tudo indica, já foram algumas centenas bloqueadas.
“Devemos reconhecer, e somos sensíveis, aos direitos do presidente garantidos pela Primeira Emenda, mas ele não pode exercer esses direitos de uma forma que infrinja os mesmos direitos daqueles que o criticaram”, afirmou a juíza.
O Twitter não comentou sobre a decisão e ainda não houve nenhum pronunciamento da Casa Branca ou do Departamento de Justiça dos EUA, que estão representando o presidente nesse caso.